16 de julho de 2017

Kasha doce de arroz à russa

Kasha de arroz (рисовая каша) é algo, que acredito, existe em muitos países do mundo. Inclusive, eu li algumas receitas de arroz doce do Brasil e achei bastante parecido com esse prato.

Pelo pedido da Mônica Afanasiev Storari Frias, vou compartilhar a receita da kasha russa de arroz. Obrigada pela sua pergunta. Ela me inspirou em fazer uma kasha bem gostozinha.

A kasha de arroz pode ser feita de dois jeitos. Um é mais rápido e fácil, mas é menos certo: colocar o arroz no leite e ferver. O outro dá um pouco mais trabalho, mas é melhor no final: primeiro cozinhar o arroz na água e depois no leite. O arroz deve ser de formato redondo. Na Rússia nós o chamamos arroz redondo (круглый рис). 

Receita de kasha doce de arroz


Ingredientes

1 copo americano de arroz redondo
2,5 copos americanos d'água
4 copos americanos de leite
1 colher (sopa) de açúcar
baunilha e (ou) um pouco de uvas passas se quiser
1 colher (sopa) de manteiga

Modo de preparo

Lave o arroz com água fria.

Ferve 2,5 copos d'água e cozinhe o arroz por 8 ou 10 minutos. Depois retire o excesso d'água e lave o arroz com água fervida. Esse passo garante que a sua kasha não vai ficar toda colada na panela e faz o arroz mais saboroso. No passádo eu simplesmente deixava o arroz como ele estava e acrescentava o leite para fazer mais fácil, mas percebi que assim é melhor.

Ferve o leite numa panela limpa. Adicione o arroz e cozinhe-o no fogo baixo por 15 minutos. No final adicione o açúcar (uvas passas e (ou) baunilha se quiser).

Se vai usar uvas passas, lave-as e deixe por um minutinho na água quente antes de adicionar.

Após desligar o fogo, adicione a manteiga e deixe a sua kasha de arroz tampada por uns 15 minutos. Pode cobrir com uma toalha grossa ou com cobertor. Eu tenho fogão elétrico e simplesmente deixo a panela no fogão desligado enquanto ele esfria.

Bom apetite! Agradeço a quem compartilhar 💛

Leia mais »

3 de julho de 2017

Sopa de frango com macarrão

Sopa de frango com macarrão - comida russa
Sopa de frango com macarrão (куриный суп с вермишелью) é algo que qualquer russo já comeu. Eu diria que esse é o rival dos famosos xi e borsch. Imagino também que algo parecido existe em qualquer lugar do mundo. Se tiver no seu país, qual é a diferença da versão russa?

A sopa é feita com macarrão tipo vermicelli que em russo se chama вермишель (virmichêl), ou com macarrão tipo estrelinhas. Eu prefiro usar as estrelinhas porque fica mais legal :-) Vi que no Brasil também existe esse macarrão.

Acho legal comer essa sopa no verão (verão da Rússia), porque ela é leve e não é temperada. Peço desculpas que a foto ficou meia boca, o sabor é bem melhor!

Receita da sopa russa de frango com macarrão


Ingredientes

3 ou 4 coxas de frango
3 ou 4 batatas
1 cenoura grande
1 cebola grande
4 ou 5 colheres (sopa) de macarrão-estrelinhas
2 folhas de louro
sal a gosto

Eu coloco as proporções variáveis porque elas podem mudar dependendo do seu gosto sem quebrar a "autentidade" da receita.

Modo de prepáro

Lave as coxas de frango e coloque-as na água fria para ferver. É necessário cozinhá-las por mais ou menos 25 ou 30 minutos, dependendo do tamanho.

Enquanto o frango está cozinhando, prepare os legumes. Descasque a cenoura, as batatas e a cebola. Corte a batata em pequenos quadradinhos, pique a cebola e rale a cenoura.

Em algumas sopas russas existe uma opção de fritar a cenoura e cebola antes de adicioná-los na calda. Entretanto, não recomendo fazer isso neste caso, porque a idea é fazer uma sopa leve. Mesma coisa com temperos: somente vamos adicionar louro e talvez um pouco de pimenta do reino. E só.

Quando o frango estiver pronto, retire-o e coloque os legumes na calda. Cozinhe os legumes por 5 minutos. Enquanto isso o frango vai resfriar um pouco. 

Corte o frango e adicione-o na calda. Coloque sal, as folhas de louro e uma pitada de pimenta do reino se quiser. Cozinhe por mais 5 minutos.

Quando a sopa estiver pronta, desligue o fogo e deixe a panela tampada por um tempo (pelo menos por 10 minutos). Sirva a sopa quente ou morna. 

Bom apetite!

Leia mais »

10 de junho de 2017

Zapekanka de tvorog com leite condensado

Comida russa: zapekanka de tvorog com leite condensado
Zapekanka de tvorog com leite condensado (творожная запеканка со сгущёнкой) está na minha lista das melhores receitas russas e do mundo. Ela é super fácil e incrivelmente gostosa. Para fazer a sua zapekanka você vai precisar de somente três ingredientes: tvorog, leite condesnado e ovos. Bom, também é necessário usar um pouco de manteiga para untar a forma e, se quiser, adicione baunilha.

A zapekanka fica bonita, lisa e não doce demais. Boa opção para quem não quer engordar!

Receita de zapekanka de tvorog super fácil


Ingredientes

500 g de tvorog
uma lata de leite condensado (380 ou 400 g)
3 ovos

Modo de preparo

Preaquece o forno até 180 graus e prepare uma forma untada. 

Misture todos os ingredientes. É melhor usar garfo, porque o liquidificador faz a massa de tvorog mais líquida, não precisamos desse efeito aqui. 

Coloque a massa na forma e deixe-a no forno por mais ou menos 45 ou 55 minutos. O tempo depende do seu forno e da quantidade da massa. Quando o pálito de dente sai seco, a zapekanka está pronta. Ela não deve ficar dourada, somente sólida. 

Essa zapekanka de tvorog pode ser servida quente, mas fica mais gostosa depois de esfriar. Então, eu recomendo esquecer dela pelo menos por 30 minutos.

Bom, apetite!

Leia mais »

1 de maio de 2017

Kasha de milhete (pshyonka)

Se você gosta de mingau ou, como nós a chamamos na Rússia, kasha, com leite, provavelmente, vai gostar desse prato. Normalmente a kasha de milhete (пшённая каша, пшёнка) se come de manhã. Eu normalmente a faço a noite e deixo na geladeira para comer fria de manhã. Algumas pessoas preferem quente. Experimente você também e escolha o seu jeito preferido ;-)

Vou compartilhar a receita que eu normalmente uso. Você pode cozinhar a sua kasha numa panela ou num pote de ceramica. A segunda opção é melhor, mas hoje em dia nem todos os dias nós temos essa possibilidade, né.

Receita de kasha de milhete


Ingredientes:

1/2 caneca de milhete
1 caneca d'água
1 caneca de leite
3 ou 4 colheres (sopa) de açúcar
uma pitada de baunilha

Modo de preparo:

Lave o milhete e coloque-o na água fervendo. Adicione açúcar e a baunilha, misture e deixe-o cozinhar no fogo médio mais ou menos por 10 minutos. Quando a água começar a acabar, comece a acrescentar o leite. 

Agora se você cozinha numa panela, abaixe o fogo até o mínimo e espere por 20 minutos. Para fazer a sua kasha num pote de cerâmica, nesse etapa coloque-a nesse pote e deixe no forno preaquecido por 20 minutos.

Nos dois casos quando a kasha ficou pronto, adicione manteiga, tampe-a e deixe descansar. Na minhã opinião o ideal é deixar até o próximo dia.
Leia mais »

1 de abril de 2017

Como fazer kvas?

Respondendo a pergunta de Anderson Baiano sobre como fazer kvas caseiro. Mais uma vez decedi usar um recurso russo que achei bastante completo e interessante, eu o traduzi, fiz algumas adaptações e coloquei aqui:

Receita de kvas de pão de centeio com fermento


Ingredientes:

3 litros d'água
1/2 saquinho de fermento
3 ou 4 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de uvas passas
1/2 de um pão preto (você pode fazer torradas de um pão inteiro e guardar a segunda parte para a próxima vez)

Corte o preto em pequenos pedaços, coloque os numa assadeira e seque no forno. Veja que o pão não fique frito demais e não queime. Senão o kvas vai ser amargo.

Ferve a água. Ponha as torradas numa jarra de vidro assim que elas cubram mais ou menos 8 ou 10 cm do fundo. Adicione o açúcar e a água quente, mas não preenche até o topo, deixe um pouco de espaço.

Quando a água esfriar até a temperatura de 35 ou 37 graus, adicione o fermento, dissolvido em água morna. Misture bem e tampe a jarra com um pano fino ou com uma toalha de papel. Deixe o kvas com a temperatura ambiente por um dia ou um dia e meio. Para fazer a fermentação mais intensiva, pode adiconar uvas passas.

Filtre o kvas e coloque-o nas jarras. Em cada jarra adicione um pouco de uvas passas. Guarde o kvas na geladeira por 6 ou 8 horas antes de beber.

Kvas de pão sem fermento


2/3 ou 1 pão preto
3 litros d'água
10-15 colheres (sopa) de açúcar
2 colheres (sopa) de uvas passas

Para essa receita você também vai precisar de torradas. Dessa vez vamos preencher metade de uma jarra de 3 litros com elas.

Ferve a água e dissolva o açúcar nela. Deixe-a esfriar e coloque na jarra com as torradas. Adicone as uvas passas. Tampe a jarra com um pano fino.

Depois de um ou dois dias começará a fermentação. As torradas vão começar a flutuar pra cima e pra baixo na jarra. O kvas estará pronto em 3 ou 4 dias. Ponha-o nas jarras limpas.

Como fazer a segunda porção de kvas


Se você quer continuar fazendo kvas, não jogue fora todas as torradas que você usou para a primeira porção. Depois de retirar a bebida pronta da jarra, substitua metade das torradas com as novas e adicone a água fervida com açúcar e uvas.

Quando você faz a primeira porção de kvas é necessário usar muito açúcar para facilitar a fermentação, mas agora você já pode escolher quanto você quer. A fermentação vai acontecer rápido. Se você faz o kvas a noite de manhã ele já está pronto.

Pode guardar as torradas que já foram usadas na geladeira até a próxima vez quando vai dar vontade de fazer kvas.

Fonte original: http: liveinternet.ru/users/greesa/
Leia mais »

4 de março de 2017

Quer mandioca? Coma cenoura, fica igual!

Olá! Tudo bem? Vamos falar um pouco sobre a relação entre comida, cultura e inteligência?

Comida reflete a cultura do país


Sei que muitos dos meus seguidores acreditam que a comida reflete a cultura de um certo país ou de uma certa época. Por exemplo, as palavras e frases como "pão francês", "mandioca", "pudim de leite", "bem-casado", "brigadeiro", "cachaça", "açaí", "catupirí" ou "tapioca" sem dúvida criam algumas associações com o Brasil. Já as palavras como "blini", "smetana", "xí", "tvorog", "kvas", "tarhun", "sírniki", "mannik", "olivier" ou "estrogonofe" parecem algo a ver com a Rússia. Eu presto mais atenção nas palavras, porque trabalho com línguas, mas há muitos aspectos nos quais nós podemos perceber essa relação entre a comida e a cultura. 

Lendo sobre a comida nacional, aprendemos sobre o país e... 


Aprendendo sobre a culinária de algum país, nós melhoramos o conhecimento sobre a cultura dele. Mas além disso, eu acho que lendo sobre comida típica, aumentamos o nível da nossa inteligência. Como isso funciona? 

A pessoa que coleciona receitas, digamos, de São Tome ou da Índia, não procura somente o jeito de fazer algo gostoso. Ela quer saber da história dos pratos, das propriedades dos ingredientes, dos costumes relacionados com a comida e aprende diversos fatos. Por exemplo, ela pode ler sobre um tempero ou uma fruta que não estão presentes no país dela e junto com isso aprender mais sobre a geografia do lugar, o efeito de certos elementos sobre o corpo humano, um pouco de botânica talvez e um pouco de língua estrangeira (analisando o nome deste ingrediente).

Além disso, cada vez que você segue uma receita nova, você desenvolve as suas habilidades de classificar e comparar, a sua memória, atenção e persistência. Pensando em detalhes, você busca a perfeição. 

Concordam com isso?

Se fosse tudo mesma coisa, não haveria pratos nacionais


Agora tem outro tipo de leitor. Infelizmente, várias vezes eu o encontro aqui no meu blog. Recebo alguns comentários incríveis, entre os quais os mais típicos são as sugestões de como se pode mudar a receita. Totalmente loucas essas sugestões, disculpem por dizer. 

Por exemplo, fazer pudim de semolina sem semolina ou kasha de trigo sarraceno com quinoa em vez de trigo sarraceno. Eu entendo que às vezes é difícil achar o ingrediente necessário. Mas é uma coisa substituir algo secundário... Já tirar o ingrediente principal ou típico do prato é outra coisa, né. Imagino que ninguém pensa em fazer bolo de banana com laranjas. Primeiramente, bolo de banana feito de qualquer coisa que não seja bananas não é bolo de bananas. Em segundo lugar, se você só procura mudar a receita assim que ela fique mais parecida com algo que você normalmente faz no seu país, qual é o sentido de ler algo sobre a culinária da Rússia, Japão, China ou qualquer outro país que seja? Meu blog se chama "Comida Russa de Verdade". De verdade, autêntica.

Sem falar que se todo mundo usasse os mesmos ingredientes e os mesmos jeitos de cozinhar, o mundo inteiro iria comer a mesma coisa e não haveria nenhum prato nacional. 

Sendo espertão você não aprende nada


Fico surpresa também, quando uma pessoa entra no blog de uma russa (nesse caso eu) para aprender como se faz algum prato ou ingrediente russo, mas já sabe tudo melhor do que o autor! 

No meu artigo com receita de smetana caseira eu indiquei que o ingrediente principal é creme de leite. Mesmo assim recebi um comentário dizendo, "Faço de kefir, fica igual!" 😑 Não adianta eu escrever do que se faz a smetana. Mas o que dá ainda mais raiva é que eu tenho 99,9% de certeza que a pessoa nem sabe "igual" a que fica a tal smetana dela, porque ela nunca comeu o molho autêntico. Sem falar que não há nenhuma garantia que o kefir dela é o kefir verdadeiro e não alguma coisa parecida. Já ouvi várias vezes pessoas chamando de kefir algo que não é (um iogurte, leite azedo, prostokvasha etc.).

O que a pessoa ganha, lendo o meu blog ou qualquer outro material cultural desse jeito?

Finalmente, tem gente também que me ensina (!) o que na verdade são os ingredientes dos pratos russos, como é o sabor deles e como fazer certos tipos de comida. Entenderia se fossem russos ou especialistas em cultura russa, mas são brasileiros e maioria deles nem visitaram a Rússia ou visitaram uma vez na sua vida. Mesmo assim, já correm para me informar, "Ah, eu conheço o tvorog! É mesma coisa que a ricota". Muito obrigada por me indicar, mas se fosse a mesma coisa, será que eu iria falar tanto desse ingrediente e explicar as diferenças entre ele e a ricota no artigo que você comentou? 

Para quem parece tudo mesma coisa, eu sugiro fritar cenoura em vez de mandioca. Fica ingual! Ou quando quiser tomar café, use suco de cereja em vez de água. Vai ficar igualzinho.

Acho que não vale a pena seguir meu blog para quem tem esse tipo de pensamento. Por isso resolvi nunca mais publicar ou responder os comentários assim que descrevi aqui. Quando tiver tempo, apagarei todos eles. 

Resumindo, queria agradecer meus leitres que gostam de prestar atenção em detalhes 😉 Com vocês eu sempre cresço 💓
Leia mais »

1 de março de 2017

Salada de kani-kama

O quê? Salada de kani-kama é um prato russo? Sim! E muito típico ainda! Mas kani-kama não é um ingrediente japonês? Bom, é, mas a maioria dos russos nem sabe disso.

Na Rússia, o kani-kama é conhecido como carne de caranguejo ou bastões de caranguejo (крабовое мясо, крабовые палочки). Esse ingrediente se espalhou pelo país inteiro a partir da cidade de Vladivostok, que fica na parte leste da Rússia, perto da Coreia, China e Japão. Isso aconteceu mais ou menos nos anos 90. Muitas pessoas naquela época nem duvidavam que esse produto realmente era carne de caranguejo. Somente nos últimos anos começaram a falar que na verdade é feito de surimí (carne de peixe congelada e descongelada de certo jeito, depois picada e misturada).

A salada de kani-kama é uma das favoritas na Rússia, só que aqui se chama salada de carangueijo, krábovy (крабовый салат). Não sei dizer se ela também veio do Japão ou foi inventada em Vladivostok, mas ela se tornou uma salada clássica, no nível das já conhecidas olivier e arenque de shuba.

Curiosidade: Inicialmente, essa salada era feita com arroz. Mas num certo momento as pessoas começaram a pensar que ele serve só para aumentar o tamanho e fazer a salada ficar mais barata. Eu relaciono isso com o cansaço de sempre se sentir pobre e ter que comprar algo símples no começo dos anos noventa. As pessoas não queriam mais comer o que era comum e tradicional. Hoje, a versão com arroz voltou e é mais reconhecida do que a sem. Vou compartilhar essa receita aqui.

Receita da salada russa de kani-kama


Ingredientes:

2 pacotes de kani-kama
4 ou 5 ovos (dependendo do tamanho)
uma caneca de arroz pronto
1 pepino médio
1 repolho chinês pequeno
1 lata de milho
maionese a gosto

Modo de preparo:

Cozinhe os ovos e o arroz e deixe-os esfriar. Pique o kani-kama e misture-o com o milho. Agora corte os outros ingredientes (os ovos, o pepino e o repolho chinês) e, mesmo que eu dei as proporções, preste atenção quanto seria bom para a sua salada. Misture tudo e adicione maionese. Eu não ponho sal, porque a maionese já o contém. 

Essa salada é comida fria. Pode ser como prato principal ou como entrada.

Bom apetite!
Leia mais »

29 de janeiro de 2017

Receita clássica de sopa xi (ou shchi)

Xi (щи) é a sopa mais tradicional da Rússia. O nome original contem um som que não existe em português, mas parece muito com o "x" na exclamação "vixi!". Uma curiosidade linguística: a raiz da palavra "xi" consiste de uma letra só que é "щ".

Essa sopa provavelmente existe desde os tempos que existe o próprio país. Ela é parte da nossa cultura e o prato principal do almoço. Nos tempos antigos a louça em que faziam xi era considerada quase sagrada. Você não poderia usá-la para preparar algum outro tipo de comida. Quando a dona de casa lavava o pote para fazer xi, ela falava ou cantava palavras especiais que deveriam passar algum tipo de magica para o pote e assim proteger a saúde da família.

Normalmente, xi não se fazia para um dia só, mas para três ou cinco dias. Minha mãe sempre cozinhava uma grande panela de xi e a colocava na geladeira para comer todo dia. Até os anos 90 era estranho almoçar sem xi ou alguma outra sopa. Agora o ritmo da vida mudou bastante, e sopa já não é uma obrigação. Entretanto, os xi sempre estão bem-vindos (eu digo "os xi" porque em russo é plural de neutro).

Vou compartilhar aqui uma receita mais popular de xí, algo clássico da nossa culinária moderna.

Receita de sopa xi


Ingredientes para uma panela média

250 ou 300 g de carne bovina, pode ser com osso
um pedaço de repolho que seja visualmente duas vezes maior que a porção de carne
uma cebola
uma cenoura pequena
um tomate
pimenta de reino em bolinhas
pimenta de jamaica em bolinhas
paprica
sal a gosto
2 ou 3 folhas de louro (nunca pode esquecer dele!)
1 ou 2 dentes de alho

Modo de preparo

Lave a carne e coloque-a numa panela na água fria para cozinhar. Não importa se você usa carne em pedaço maior ou cortada, cozinhe-a no mínimo uma hora. Enquanto isso você pode preparar todos os legumes.

Rale a cenoura com a parte mais grossa do ralador. Pique a cebola. Corte o repolho em tirinhas bem finas. Rale ou pique o tomate. As receitas mais antigas suponham que você colocar todos esses legumes na sua sopa sem fritar, mas realmente é muito mais gostoso quando você frita a cebola, a cenoura e o tomate. Hoje em dia maioria das pessoas fazem seu xi assim. 

Primeiro começe a fritar a cenoura. Quando ela estiver mais macia e um pouco dourada, adicione a cebola. Tome cuidado para não fritar demais e não queimar. O nível bastante é quando a mistura está bonita, dourada e cheira bem. Guarde-a num prato separado e frite o tomate na mesma panela sem lavar.

Pequeno segredo: O melhor repolho para usar nesse prato é aquele maior e bem branquinho e não aquele que é pequeno e esverdiado. Quando o repolho foi cortado, coloque a num prato maior, adicione um pouco de sal e amasse com as mãos.

Quando a carne estiver pronta, retire-a da panela. Retire também metade da calda, pode usá-la para algum outro prato como por exemplo legumes refougados. Adicione água fresca na panela, mais ou menos assim como se fosse a sopa está pronta e essa é a porção final. Ela vai evaporando e você não vai precisar adicionar toda hora.

Enquanto a água está começando a ferver, corte a carne em tirinhas. Quando a calda estiver fervendo, coloque a carne de volta. Adicione a pimenta e deixe a carne cozinhar por uns 10 ou 15 minutos.

Pequeno segredo: Não substitua a pimenta em bolinhas por pimenta moída para fazer mais fácil. O sabor vai mudar. E sempre as duas pimentas devem estar presentes. Adicione os temperos moídos somente depois, quando a sopa estiver quase pronta.

Adicione a batata e o repolho. No começo vai parecer que a sua sopa é só repolho, mas o tamanho dele vai diminuir mais ou menos por duas vezes. Isso leva de 15 até 40 minutos, dependendo do repolho.

Depois adicione os legumes que foram fritos e cozinhe por mais 5 minutos.

Pique o alho e coloque-o no xi junto com os outros temperos moídos ou ervas secas que você quer usar, como paprica ou endro. Cozinhe por mais 5 minutos.

Agora o seu xi está pronto! Bom apetite ou guarde-o até o próximo dia. Xi são mais gostosos no próximo dia. Sirva com smetana ou maionese, adicione verduras a gosto.

Leia mais »